Gravação do Festival Promessas reúne cerca de 100 mil pessoas em São Paulo

Gravação do Festival Promessas reúne cerca de 100 mil pessoas em São Paulo

A segunda edição do Festival Promessas de música gospel reuniu neste sábado (8) em São Paulo (SP) um público de 100 mil pessoas para assistir a shows de alguns dos principais artistas do gênero. A anúncio foi feito pelo próprio apresentador do evento, que começou às 17h30 e se encerrou às 23h. Segundo Serginho Groisman, a estimativa foi feita pela administração do Campo de Marte, na Zona Norte da capital, que recebeu seis atrações.

Apresentaram-se André Valadão, Cassiane, Aline Barros, Fernandinho, Thalles e Diante do Trono. Cada show teve duração de cerca de 45 minutos, com intervalos de 10 minutos.

André Valladão foi o primeiro a entrar em cena. O mineiro de 34 anos também é pastor e é irmão de Ana Paula, líder do Diante do Trono, outra atração do evento

De óculos escuros sob sol ainda quente, que não diminuiu a animação do cantor nem do público, André Valadão, emocionado, chamou a ocasião de “dia profético”. Alternou entre pulos e giros que lembraram os de Chris Martin, cantor inglês do Coldplay, e músicas sentado ao piano, acompanhadas de guitarras distorcidas também ao clima da banda britânica e do U2 , vide “Pela fé” e “Abraça-me”, maiores hits do mineiro.

O pastor André comandou várias orações e pedidos ao público para fazer “barulho santo”. “É tempo de o Brasil voltar os olhos para o Senhor”, falou o artista ao final da apresentação, que durou pontuais 45 minutos, com intervalo de 10 minutos.

A cantora Cassiane, segunda atração, subiu ao palco às 18h25.

Com voz poderosa de artista soul e trejeitos fortes de cantora de rock, a cantora e pastora evangélica Cassiane não poupou floreios vocais para impressionar o público. A artista fluminense de Nova Iguaçu, que gravou o primeiro disco aos oito anos como promessa mirim do mercado gospel, já soma 17 álbuns aos 39 anos.

“Vai um glória a Deus aí?” era sua pergunta mais comum ao público entre as músicas. Com arranjos mais comuns ao estilo, os presentes cantaram bastante, especialmente “Com muito louvor”, de braços esticados para o alto – gesto mais comum do Promessas -, mas com menos pulos do que o pulsante show anterior. Ela tirou os sapatos e terminou a tarde descalça cantando a apoteótica “Uma chuva diferente”.

Acompanhada de uma competente banda de pop-rock, a carioca Aline Barros voltou a fazer o publico se mexer usando recados diretos como “pulo, pulo, pulo na presença do rei”, de “Vitória no deserto”. A pastora de 36 anos venceu recentemente o do Grammy Latino 2012 de música cristã, com o disco infantil “Aline Barros & Cia. Vol 3″.

Aline chamou ao palco para um dueto Fernandinho, que apresentou como “grande amigo e homem de Deus”. Eles cantaram juntos a faixa já gravada pela dupla “Rendido estou”. A animada Aline pediu aos fãs para que se abrissem ao “vento de Deus para trazer refrigério”, antes de “Vento do espírito”. Ela desejou um antecipado “feliz 2013″ para a plateia ao encerrar o show com ” Vou te alegrar”.

Fernandinho começou seu show com efeitos eletrônicos, guitarras pesadas e vocal agudo em “Dançando na chuva”. Apesar do tempo quente com nuvens, a chuva citada na letra não tinha aparecido, mas a dança do público foi intensa, no momento mais enérgico do evento até então. “A Bíblia diz que os justos saltam de alegria”, disse o alagoano aos gritos, sob base rítmica que usava veloz bumbo duplo e riff de punk rock.

Em “Eu fui comprado”, com interlúdio de um rapper, o público fez trenzinhos, coreografias e até círculos de dança caótica que lembram rodas de pogo de shows de rock. A seqüência de power ballads “Nada além do sangue”, “Uma nova história” e “Teus sonhos” fez alguns presentes se sentarem e revelou o bom vocal de Fernandinho. A segunda metade mais lenta do show só voltou a se animar quando ele chamou os fãs para “pular até bater a cabeça no céu” na penúltima “O hino” e na final “Vai chover”.

Quem sucedeu Fernandinho foi Thalles, o artista mais premiado do último Troféu Promessas e penúltima atração da noite. O mineiro Thalles confirmou a boa fase, com um som que mistura funk, soul e rock, com groove que faz jus ao cabelo black power do cantor. O público vibra bastante ao reconhecer cada início de música.

Intercalar músicas com mais “pressão”, como ele diz aos fãs, com baladas ao violão cantadas com voz rouca, como “Eu escolho Deus”, é estratégia semelhante à do Jota Quest, banda do qual ele já foi backing vocal. Thalles também já cantou com Jammil e uma Noites e compôs para Luciana Melo e Seu Jorge. Tem traquejo de palco que não fica a dever para os artistas seculares com quem colaborou.

Depois de Thalles, foi a vez da atração que encerrou o Festival Promessas 2012, a banda Diante do Trono. O grupo terminou seu show por volta das 23h. As notas agudas e seguras da voz da líder Ana Paula Valadão se alternam na maioria das faixas com as dos outros músicos de grupo, dando um pouco mais de dinâmica às músicas, mais lentas do que a média das outras atrações.

A banda tem origem na Igreja Batista da Lagoinha, de Belo Horizonte, assim como André Valadão e Thalles. Assim como no show de Cassiane, houve mais coros do que pulos do público, inclusive na faixa eleita a melhor do ano no Troféu Promessas, “Me ama”. A trilha dos mineiros deu final tranquilo para o festival.

Policiais Militares confirmam  que o público presente no Campo de Marte é de 100 mil pessoas. Esta é a primeira edição do festival feita em São Paulo. O festival  terá exibição nacional pela TV Globo no próximo dia 15.
A primeira edição do evento aconteceu em dezembro de 2011, no Aterro do Flamengo, no Rio. Diante do Trono, Regis Danese, Damares, Fernanda Brum, Ludmila Ferber, Eyshila, Davi Sacer, Pregador Luo e Fernandinho apresentaram-se por quase 8 horas para um público estimado em 20 mil pessoas. Neste ano, o Festival Promessas também contou com edições regionais em Brasília, Recife e Belo Horizonte.

Para a edição de São Paulo, foram montadas estruturas de caixas de som e telões de led para que aqueles que não conseguirem ficar perto do placo pudessem aproveitar as apresentações. O palco tinha 17 torres de iluminação de led que funcionaram como vitrais durante os shows.

Fonte: G1


Deixe aqui seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top
Acesse Rádio Online
Fonte FM - 103.7